Lomachenko e Braekhus são os melhores do ano

Vasyl Lomachenko (e) e Cecilia Braekhus encabeçam lista dos vencedores de 2017 (Montagem)

Havia poucas dúvidas apesar da forte concorrência. O ucraniano Vasyl Lomachenko e a colombiana-dinamarquesa Cecilia Braekhus foram nomeados os melhores boxeadores do ano pelos integrantes da Associação Americana dos Escritores de Boxe (BWAA, por sua sigla em inglês). A organização ainda apontou vencedores em diversas categorias – listada abaixo – e promove seu 93º Jantar Anual de premiação no próximo mês de abril.

Relembre aqui: Jornalistas apontam finalistas a melhores do ano

Lomachenko está associado às maiores conquistas da BWAA. Além de melhor boxeador no prêmio “Sugar Ray Robinson”, viu seu pai Anatoly Lomachenko ser apontado como o melhor treinador no prêmio “Eddie Futch” e seu gerente Egis Klimas ser apontado como o melhor no prêmio “Cuz D’Amato” de melhor manager da temporada. Domínio semelhante só ocorreu uma vez, em 1992, quando Riddick Bowe, seu treinador Eddie Futch e seu manager Rock Newman levaram os mesmos prêmios. Relembre os indicados de cada categoria e conheça os vencedores anotados em negrito:

Prêmio Sugar Ray Robinson de Boxeador do Ano
Vasyl Lomachenko
Terence Crawford
Mikey García
Anthony Joshua
Srisaket Sor Rungvisai

Prêmio Christy Martin de Boxeadora do Ano
Cecilia Braekhus
Jessica Chavez
Naoko Fujioka
Mariana Juárez
Amanda Serrano
Claressa Shields
Katie Taylor

Prêmio Muhammad Ali-Joe Frazier de Luta do Ano
Anthony Joshua-Wladimir Klitschko
David Benavidez-Ronald Gavril
James DeGale-Badou Jack
Miguel Román-Orlando Salido
Srisaket Sor Rungvisai-Roman Gonzalez I

Prêmio Eddie Futch de treinador do Ano
Anatoly Lomachenko
Derrick James
Brian McIntyre
Andre Rozier
Abel Sánchez

Prêmio Cus D’Amato de Manager do Ano

Egis Klimas

Keith Connolly
Frank Espinoza

Prêmio Marvin Kohn de Bom Exemplo (Boa Pessoa)*
Ed Keenan
Wladimir Klitschko
Matt Donovan
Jose Ramírez
Bruce Silverglade
Tim Smith

*Dois vencedores nesta temporada

Prêmio Sam Taub Broadcasting (Radiodifusão)
Lou Di Bella
Brian Custer
Steven Espinoza
Roy Jones
Mauro Ranallo

Prêmio Barney Nagler Long & Meritorious (Antiguidade e Mérito)
Dra. Margaret Goodman
Gina Andriolo
Bob Canobbio
Randy Gordon
John Sheppard

Prêmio Bill Crawford Courage (Coragem)
Daniel Franco
Kathy Duva
José Santa Cruz
Claressa Shields
Samuel Teah

Maldonado encara americano de carreira tardia

Faltam poucos detalhes para a confirmação do embate entre Maldoando (e) e Corbin (d)

A oportunidade não poderia ser desperdiçada. A não ser que ocorra algum imprevisto de última hora, o pesado brasileiro Fabio Maldonado, 37, enfrentará o americano Gregory Corbin, 37, no dia 14 de fevereiro no estado do Alabama (EUA). A disputa de 12 rodadas deve valer os cinturões da USBA, da IBA Internacional e outro menor da AMB. A última vez que o boxeador nacional se apresentou na Terra do Tio Sam foi em 2004 e, recentemente, seu nome esteve envolvido em negociações com Denis Lebedev e Jun Long Zhang.

Ainda que invicto nos ringues, Maldonado (25-0-0, 24 KOs) fez apenas três lutas nas últimas oito temporadas, tendo se dedicado mais às artes marciais mistas (MMA), em que atuou dentro do UFC, alé de ter sido campeão do Fight Nights Global. Existem boas chances do brasileiro surpreender, afinal, Corbin (15-0-0, 9 KOs) só estreou há pouco mais de cinco temporadas, nunca esteve diante de qualquer oponente de qualidade e, com 1,94m, costuma subir ao ringue com exagerados mais de 120 quilos.

William Silva briga por dois cintos na Flórida

Brasileiro William Silva é o nome principal do evento realizado pela Fire Fist (Montagem)

Correndo atrás do tempo perdido e com a carreira mais focada, o brasileiro William “Baby Face” Silva, 30, volta aos tablados contra o americano Rogelio Casarez, 27, no próximo dia 3 de março na cidade de Clearwather, estado da Flórida (EUA). Em jogo estarão dois cinturões menores: o Continental Norte-americano IBO e o Mundial da NBA, ambos na categoria leve (61,2k).

Relembre aqui: Após hiato, William Silva volta, ganha a avança

Com acordo gerencial fechado com a empresa Fire Fist, Silva (24-1-0, 14 KOs) espera avançar rapidamente para brigar por títulos mais importantes no futuro. Em novembro passado, ele superou por pontos o nicaraguense Ariel Vazquez quando estava havia quase duas temporadas sem atuar desde o revés para o mundialista Felix Verdejo. Agora, diante de Casarez (13-6-0, 5 KOs), o brasileiro é favorito antecipado, mas terá um rival que costuma ser resistente e vender caro a derrota.

Tyson aponta Lomachenko como o melhor de hoje

Lendário Tyson se diz impressionado com performances do ucraniano (Arquivo)

Intenso acompanhador do esporte, o lendário Mike Tyson, 51, se mostra encantado com o ucraniano Vasyl Lomachenko, 29, campeão mundial em duas categorias, bicampeão olímpico e um dos maiores (se não o maior) boxeadores amadores de todos os tempos. Em recente entrevista, o antigo pesado americano não teve dúvidas em apontar o atleta do Leste Europeu como o melhor da atualidade, entre todas as divisões.

Relembre aqui: Lomachenko sempre foi vencedor no esporte

“Esse rapaz (Lomachenko) da Ucrânia é incrível. O que ele fez na luta com (Guillermo) Rigondeaux é impressionante”, destaca Tyson, referindo-se ao embate realizado no início de dezembro do ano passado nos Estados Unidos. Tyson garante que as performances do pugilista europeu estão entre as mais interessantes que ele tem visto nos últimos anos.

Campeã mundial de kick e thai voa para o boxe

De origem muçulmana, Ruqsana Begum tem vida marcada por desafios (Reprodução)

Ela quebrou inúmeros tabus e agora espera romper outro. A britânica de origem indiana Ruqsana Begum, 34, vem incrementando os treinos de boxe para adotar o novo esporte depois de consagrar-se campeã mundial de kickboxing e muay thai. A atleta ainda não aponta data para estreia nos tablados, mas sua dedicação ao longo da carreira e da vida serão capazes de fazê-la ser forte concorrente.

Apelidada de “A Princesa Guerreira”, Begum é de origem muçulmana e durante muito tempo manteve em segredo dos pais seus treinos esportivos. Devido à sua elevada técnica e determinação já não pôde mais esconder seus sonhos, competindo regularmente até a obtenção de títulos. Em vez de desfrutar apenas de seu sucesso pessoal, ela preferiu estender suas lutas para a ministração de aulas gratuitas para mulheres de sua mesma religião, afora os trabalhos voluntários em ginásio voltados para retirar das ruas crianças e adolescentes.

A batalha e as realizações de Ruqsana Begum são ainda mais intensas, pois ela sofre de Síndrome da Fadiga Crônica, cujos sintomas poderiam afastá-la dos treinos e das competições e causar-lhe sérios danos físicos a longo prazo. Preocupada em manter as tradições religiosas, ela desenvolveu linha de hijab esportivo (lenço que as muçulmanas usam na cabeça) para atletas não profissionais, produzida em material mais leve e respirável. Inicialmente ela tentou produzi-la na Inglaterra, mas sem apoio, conseguiu selar parceria com empresa no Paquistão.

Após dois anos, Fury recupera licença para atuar

Pesado Tyson Fury não luta desde unificação de cintos mundiais (Reprodução)

A partir do momento em que os exames médicos apresentados forem aprovados, Tyson Fury, 29, receberá de volta a licença para competir emitida pela rigorosa BBBofC (Conselho de Controle de Boxe Britânico). Ele recebeu punição de duas temporadas depois que seus testes antidoping apontaram uso de substâncias ilegais. O gigante de Wilmslow está sem subir ao ringues desde o triunfo sobre Wladimir Klitschko, em novembro de 2015, pelo qual obteve os cintos unificados AMB, OMB e FIB dos pesos pesados.

Relembre aqui: Tyson Fury seca 25k com objetivo de retorno

Relembre aqui: Tyson Fury dá a mão a cantora que ‘ofendeu’ Papa

Relembre aqui: Fury pede ajuda a Trump por luta com Joshua

Relembre aqui: Fury invoca Schwarzenegger e promete voltar

Ao longo desse período afastado, Fury (25-0-0, 18 KOs) teve programadas ao menos três revanches com Wlad Klitschko, contudo, lesões e quadro grave de depressão o deixaram longe do oponente. O britânico de 2,06m perdeu todos os títulos sem qualquer chance de defendê-los. Seu retorno é estimado para o primeiro semestre desta temporada e, em caso de vitórias convincentes, ele deve ser alçado rapidamente às classificações de todos os rankings e transformar-se em legítimo desafiante a qualquer dono de cetro. A renomada revista The Ring ainda considera Tyson Fury como seu campeão.

Crawford desafia campeão Horn em abril, nos EUA

Crawford (e) sobe de categoria para desafiar título de Horn (Montagem)

Era só uma questão de tempo e tudo foi devidamente confirmado. O australiano Jeff Horn (18-0-1, 12 KOs), 29, coloca em jogo o título OMB leve (61,2k) frente ao americano Terence Crawford (32-0-0, 23 KOs), 30, em evento marcado para o próximo dia 14 de abril no Madison Square Garden de New York (EUA). É a primeira vez que o australiano deixa de competir na região da Oceania, enquanto o ianque faz sua estreia em outra categoria depois de unificar todos os quatro principais cinturões entre os superleves (63,5k). Há a expectativa de que o filipino Manny Pacquiao possa integrar a programação, pois ele poderia ser o desafiante natural para o vencedor de Horn-Crawford.

Relembre:

Horn aceita bolsa e põe cinto diante de Crawford

Horn fica perto de expor cinto contra Crawford

 

Rússia sedia Fórum Internacional de Boxe

Evento reúne principais entidades do esporte e culmina com unificação de cintos mundiais (Divulgação)

No ano em que o país receberá atenção descomunal pela disputa da Copa do Mundo de Futebol, a Rússia aproveita a temporada para promover uma série de outros eventos importantes. Um deles é o I Fórum Internacional de Boxe, a ser realizado entre os dias 1 e 4 de fevereiro na cidade de Sochi. O evento permitirá a discussão conjunta de dirigentes de todas as principais entidades do esporte – CMB, AMB, OMB, FIB, Aiba – bem como a presença de atletas de todas as partes do planeta, antigos e atuais campeões mundiais, promotores e diversas outras pessoas ligadas ao esporte. A iniciativa do evento é da Federação Russa de Boxe e são esperados participantes de mais de 130 países

A abertura oficial (dia 1) será no Palácio de Gelo Bolshoi em que será apresentada a história do boxe, desde seu surgimento até os dias de hoje e, pela primeira vez, haverá cerimônia de introdução ao Hall da Fama Internacional do Boxe com atletas olímpicos e profissionais e premiação para lendas da modalidade. O trabalho durante o fórum abrirá espaço para audiências públicas, seminários de arbitragem, discursos de grandes promotores, mesas redondas e aulas com atletas renomados.

O ponto máximo do evento será a luta pela unificação da categoria cruzador (90,7k) entre o russo Murat Gassiev (25-0-0, 18 KOs), 24, campeão FIB, e o cubano Yunier Dórticos (22-0-0, 21 KOs), 31, dono do cinto AMB, que faz parte das semifinais da bem-sucedida WBSS – World Boxig Super Series que visa apontar o detentor dos quatro cinturões mais desejados do mundo na categoria antes do fim desta temporada.

Que luta? Lomachenko ‘bateria em velho’ Pacquiao

Pacquiao (e) concedeu entrevista em seu país e criou discussão sobre Lomachenko (Montagem)

Mesmo sem qualquer fundo de verdade sobre as insistentes notícias de possível combate difundidas desde ontem, o time do ucraniano Vasyl Lomachenko, 29, não demonstra interesse em ficar diante do filipino Manny Pacquiao, 39. Para Egis Klimas, gerente principal do boxeador europeu, seu pupilo não acrescentaria nada à sua carreira, pois “estaria batendo em um velho”, afora a diferença de três categorias de peso: Lomachenko atua nos superpenas (58,9k) e Pacquiao nos meios-médios (66,6k).

Foi o próprio Pacquiao (59-7-2, 38 KOs) quem criou a discussão ao anunciar negociações para o confronto em entrevista concedida a televisão de seu país. A notícia se espalhou rapidamente e exigiu intervenção do time de Lomachenko (10-1-0, 8 KOs). Para Egis Klimas, o ucraniano ainda tem interesse em competir com rivais para unificar sua atual divisão ou mesmo subir um degrau para desafiar nomes entre os leves (61,2k).

O empresário estranha que Pacquiao esteja buscando Lomachenko em vez de adversários mais adequados ao seu peso como Terence Crawford, Keith Thurmann e até mesmo Mikey Garcia. Um pouco diferente de Egis Klimas, o promotor Bob Arum (que tem os dois atletas sob contrato) não fechou todas as portas para o evento. No entender do veterano empresário, Lomachenko poderia evoluir rapidamente à categoria superleve (63,5k) e Pacquiao se vê em condições de baixar um pouco seu peso para permitir o confronto.

Stallone define filho de Ivan Drago em Creed 2

Florian Munteanu tem treinado duro para encenar papel (Reprodução)

Acabou o suspense. O ator, diretor e produtor Sylvester Stallone, 71, anunciou o responsável por incorporar o filho de Ivan Drago no filme Creed 2: será o forte boxeador alemão-romeno Florian Munteanu, 26. A película é sequência de Creed, sucesso lançado em 2015, no qual o personagem principal é filho de Apollo Creed, rival e depois amigo de Rocky Balboa, que começa a ser rodada a partir de março na Philadelphia, estado da Pennsylvania (EUA), com direção de Steven Caple.

Relembre aqui: Saga de Rocky continua. Stallone confirma Creed 2

Relembre aqui: Dolph Lundgren revive Ivan Drago em Creed 2

Munteanu é descendente direto de Ivan Drago responsável por provocar a morte de Apollo Creed na quarta edição de Rocky – época em se vivia alta tensão pela Guerra Fria entre EUA e a antiga União Soviética, hoje Rússia. Agora, mesmo mantido sob sigilo, o enredo previsível do filme deve antepor em algum momento nos ringues os filhos de Apollo Creed (ator Michael B. Jordan) e de Ivan Drago (Florian Munteanu), cujo lançamento está previsto para novembro deste ano.