Está marcada revanche entre Ward e Kovalev

Ward (e) superou Kovalev em primeira luta (Reprodução)

É o fim de muitos rumores. Em anúncio feito pelas redes sociais, o invicto americano Andre Ward, 33, confirmou a realização da revanche com o russo Sergey Kovalev, 34, marcada para 17 de junho no Mandalay Bay Resort & Casino de Las Vegas, estado de Nevada (EUA). Em jogo estarão os títulos unificados AMB, OMB e FIB dos meio-pesados (79,3k). No primeiro encontro, em novembro do ano passado, o boxeador ianque ganhou por pontos em decisão unânime – 114-113 para os três juízes -, contudo, o resultado foi muito contestado pela maioria dos especialistas.

“Deixe suas desculpas em casa”, alfineta Ward (31-0-0, 15 KOs) que tirou a invencibilidade do forte pegador Kovalev (30-1-1, 26 KOs) e foi cobrado insistentemente pelo reencontro ao longo dos últimos meses até pelo pré-acordo de concessão formulado em contrato. O americano e seus agentes deram de ombro para as provocações, surgiram boatos de que Ward abandonaria a carreira, mas agora tudo chegou a bom termo. Os fãs agradecem.

Tailandês fica perto de Marciano e Mayweather

Dono do cinturão CMB mínimo (47,6k), o tailandês Wanheng Menayothin, 31, já mira o registro histórico dos lendários americanos Rocky Marciano e Floyd Mayweather que permaneceram invictos ao longo da carreira acumulando 49 triunfos consecutivos. O lutador asiático alcançou 46 vitórias na última sexta-feira ao superar por pontos o filipino Jaycever Abcede, em Bancoc (Tailândia).

Menayotin (46-0-0, 17 KOs) raramente enfrenta rivais de grande nível e, por concessões inexplicáveis do CMB, ainda consegue lutar sem defender o cinturão que conquistou em 2014 diante de oponentes sofríveis e até de recordes negativos. A prosseguir com essas facilidades, o tailandês – que na realidade chama-se Chayaphon Moonsri – pode suplantar as marcas de Marciano e Mayweather, mas dificilmente marcará seu nome na história.

Na última década alguns boxeadores estiveram perto de igualar o recorde de 49 vitórias consecutivas, porém, foram atingidos por uma espécie de “Fantasma de Marciano”. O nicaraguense Román “Chocolatito” Gonzalez estava com 47-0-0 quando perdeu o combate para o também tailandês Srisaket Sor Rungvisai no mês passado. O indonésio Chris John mantinha 48-0-3 até ser superado por Simpywe Ventyeka, em 2013, e abandonar a carreira. O americano Paul Spadafora sustentava 48-0-1, contudo, acabou derrotado por Johan Perez, em 2013. O pesado russo Nikolay Valuev já havia cravado 46-0-0 até sucumbir por decisão dividida para Ruslan Chagaev, em 2007, deixando o sonho da quebra do registro para trás.

Luvas Cruzadas

Título AMB – Como havíamos informado há alguns dias, foi confirmado o embate entre o camaronês Hassan N’Dam N’Jikam (35-2-0, 21 KOs), 33, contra o japonês Ryota Murata (12-0-0, 9 KOs), 31, válido pelo cetro vago AMB médio (72,5k) – o supercampeão AMB da categoria é Gennady Golovkin. O confronto está agendado para 20 de maio no Ariake Colloseum de Tóquio, Japão. Murata foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres (2012/Grã-bretanha) quando superou na final o brasileiro Esquiva Falcão.

Retorno – Disposto a mostrar que ainda tem algo a mais a fazer no esporte, o pesado polonês Tomasz Adamek (50-5-0, 30 KOs), 40, confirmou seu retorno aos tablados em 24 de junho, no Ergo Arena de Gdansk, na Polônia. O boxeador não atuava desde o revés para o americano Eric Molina, em abril do ano passado. Adamek foi campeão mundial meio-pesado (79,3k) e cruzador (90,7k), porém, viu frustrado o objetivo de obter a coroa dos pesados ao perder para o ucraniano Vitali Klitschko, em 2011. Até hoje nenhum pugilista polaco se sagrou dono de cinturão na divisão máxima do esporte.

Sparring de Wlad Klitschko é campeão mundial

Briedis (e) foi sparring de Wlad Klitschko (Foto: Reprodução)

Ser pé quente ou vidente é para poucos. Nos últimos anos o ucraniano Wladimir Klitschko, 41, tem levado sorte a jovens boxeadores em ascensão que, com o passar do tempo, sagraram-se campeões mundiais. O mais recente exemplo é o letão Mairis Briedis, 32, agora dono do cinto CMB cruzador (90,7k), após superar por pontos o alemão Marco Huck, no sábado, em Dortmund (Alemanha).

 

Briedis (22-0-0, 18 KOs) é o primeiro detentor de cinturão mundialista de seu país, ainda conciliando a atividade de esportista com a de oficial de polícia na capital Riga. Antes dos ringues de 16 cordas, ele também foi um bem-sucedido kickboxer ganhando diversos torneios na Europa até 2009. O atleta letão se soma a outros antigos sparrings de Wlad Klitschko que obtiveram títulos mundiais: o americano Deontay Wilder, CMB dos pesados (janeiro de 2015); o britânico Anthony Joshua, FIB dos pesados (abril de 2016); o russo Murat Gassiev, FIB cruzador (dezembro de 2016) e o neozelandês Joseph Parker, OMB dos pesados (dezembro de 2016).

Pacquiao recebe pressão para encarar Horn

Horn espera definição de combate com Pacquiao (Foto: Reprodução)

Com poucas opções de rivais, de locais para abrigar suas lutas e com o mercado americano sem tanto interesse em seu nome como no passado, o filipino Manny Pacquiao, 38, está sendo pressionado por seus promotores e agentes a aceitar a oferta para encarar o australiano Jeff Horn, 29, possivelmente em 2 de julho, na cidade de Brisbane, em Queensland (Austrália). O astro asiático tem de expor seu cetro OMB meio-médio (66,6k) e o acordo definitivo deve sair até amanhã.

 

Há alguns meses se discute o embate do campeão Pacquiao (59-6-2, 38 KOs) frente ao invicto e #2 OMB Horn (16-0-1, 11 KOs). O filipino sonhou com a possibilidade de enfrentar o britânico Amir Khan mediante proposta de bolsa de US$ 38 milhões (R$ 119 milhões) a serem pagas pelos Emirados Árabes Unidos, algo nunca confirmado. A luta com o australiano está na mesa há bastante tempo e os organizadores esperam atrair mais de 50 mil torcedores para o Suncorp Stadium.

McGregor dá como certa luta com Mayweather

A confirmação pode sair em poucas horas ou dias. O certo é que o irlandês Conor McGregor, 28, já dá como definitivo seu confronto com o americano Floyd Mayweather, 40, para setembro, possivelmente na cidade de Las Vegas, estado de Nevada (EUA). Os rumores anteriores indicavam a possibilidade de o combate ser efetuado no mês de junho, mas as duas partes envolvidas avaliam que o tempo mais extenso renderá maior promoção, venda completa de ingressos e ampla comercialização pelo sistema pay-per-view (pague para ver). O peso máximo pactado para o embate gira ao redor dos 68 quilos.

 

“Tudo tem seu tempo. Quero conquistar o mundo do boxe assim como fiz no MMA. (Floyd) Mayweather tem medo de mim porque não sabe o que esperar de mim dentro do ringue”, assinala McGregor, campeão em duas divisões dentro do UFC e um dos maiores ídolos da organização. Treinando intensivamente boxe nos últimos meses, o irlandês garante que fará história. “Eu vencerei Mayweather na frente de todo mundo”.

Wlad Klitschko quer despedida com 70 mil

Wlad Klitschko quer despedida em seu país natal (Foto: Reprodução)

Mesmo sem indicar em qual momento quer encerrar a carreira, o ucraniano Wladimir Klitschko, 41, já sinaliza onde pretende fazer a última apresentação como lutador profissional: o Estádio Olímpico de Kiev, capital de sua Ucrânia. Sede da final da Eurocopa de futebol em 2012, o local tem capacidade para 70 mil pessoas e está dotado do que há mais de moderno para um evento grandioso. Habituado a atuar na Alemanha, país em que também mantém residência, o boxeador crê no simbolismo de sua despedida ser realizada diante dos compatriotas. Os planos futuros de Wlad Klitschko (64-4-0, 53 KOs) podem ser abreviados caso sofra derrota para o britânico Anthony Joshua (18-0-0, 18 KOs), a quem desafia no próximo dia 29 de abril no Wembley Stadium em Londres, Inglaterra. O embate vale os cetros AMB e FIB dos pesados.

Se não tiver ‘Canelo’, Golovkin sobe divisão de peso

Golovkin (e) ainda espera por Alvarez; Remillard (d) volta após cinco temporadas na prisão (foto/montagem: Carrera Promoções & Eventos)

O caminho para o futuro está traçado. O invicto cazaque Gennady Golovkin, 34, subirá uma categoria de peso na hipótese de não ver concretizada a luta com o mexicano Saul “Canelo” Alvarez, 26, um dos grandes sonhos de sua equipe e, claro, dos aficionados do esporte. Inicialmente, o atleta europeu pretende unificar seus cintos CMB, AMB e FIB dos médios (72,5k) com o britânico Billy Joe Saunders, detentor do cetro OMB, no mês de junho. Depois desse confronto, Golovkin quer fechar acordo Alvarez antes do fim da temporada.

Há pelo menos três anos Golovkin (37-0-0, 33 KOs) persegue Alvarez (48-1-1, 34, KOs). Representante do asteca, a Golden Boy Promotions garante ter apresentado oferta atraente ao cazaque, mas jamais recebeu retorno com a assinatura do grande campeão dos médios. Já de olho na divisão supermédio (76,2k), Golovkin começou a receber as primeiras boas vindas e provocações do ianque Andre Ward e do também mexicano Julio Cesar Chavez Jr. Dificilmente, o cazaque concederá revanche ao americano Daniel Jacobs, a quem superou por pontos em duro confronto há duas semanas.

Luvas Cruzadas

Revanche Ward-Kovalev – O russo Sergey Kovalev (30-1-1, 26, KOs), 33, garante ter assinado há alguns dias o contrato para a revanche com o americano Andre Ward (31-0-0, 15, KOs), 33, para quem perdeu em decisão controversa em novembro do ano passado. Na oportunidade, o boxeador do Leste Europeu ficou sem os cintos AMB, OMB e FIB da categoria meio-pesado (79,3k). “Ainda espero resposta do time de Ward”, declara Kovalev. Nos bastidores há indicação que a empresa promotora Roc Nation – que cuida dos interesses do ianque – reservou uma arena em Las Vegas, Nevada (EUA) para que o combate seja efetuado em 17 de junho.

Volta da prisão – Depois de cumprir cinco anos de prisão por ter fraturado o crânio de outro jovem com um taco de beisebol, o antigo peso pena (57,1k) americano Matt Remillard (23-1-1, 13 KOs), 30, volta aos tablados para recuperar o tempo perdido. O pugilista tem agendado combate para o próximo dia 1 de abril no Palladium da cidade de Worchetster, estado de Massachusetts (EUA) diante do compatriota Agustine Mauras (6-1-3, 3 KOs). Remillard havia sofrido sua única derrota para o já tricampeão mundial Mikey Garcia, em 2011, antes de ir para trás das grades. O rival agredido sobreviveu, porém, precisou de reconstrução da parte superior da cabeça, afora a implantação de oito placas, 30 parafusos e 150 pontos para fechar o ferimento.

Tiro na cabeça mata mulher de ex-campeão

Smith lamenta morte da mãe de seus filhos (foto/imagem Carrera Promoções & Eventos)

A polícia espera desvendar o mistério em poucos dias. Latoya Woolen, 39, foi morta com um tiro na parte de trás da cabeça na noite do último domingo, em Las Vegas, estado de Nevada (EUA), quando estava na calçada à espera de uma carona, depois de efetuar compras. Ela é ex-mulher e mãe de três filhos do americano Ishe Smith, 38, antigo dono do cinto FIB supermeio-médio (69,8k) e integrante da primeira versão da elogiada série “The Contender”, de 2004.

Kovalev dá bronca e McGregor mostra medo

Kovalev (e) pede para McGregor (d) sair de seu lugar (Reprodução)

Acostumado a ser o centro das atenções e a provocar tudo e a todos, o irlandês Conor McGregor teve uma boa mostra de que o mundo do boxe é bem diferente da farra que ele faz nas artes marciais mistas (MMA). No último sábado, ele esteve no Madison Square Garden de New York (EUA) para prestigiar a estreia profissional vitoriosa do compatriota Michael Conlan e achou que poderia fazer o que bem entendesse.

Por ser um dos convidados especiais, McGregor teve direito a ocupar uma cadeira ao lado do ringue, contudo, só não imaginou que assumira o lugar reservado ao russo Sergey Kovalev (30-1-1, 26 KOs), ex-campeão
unificado AMB, OMB e FIB dos meio-pesados (79,3k). Ao notar a presença do irlandês em seu assento, o forte nocauteador Kovalev não teve dúvida e disparou: “Ei, você. Saia daqui!” Pela expressão em seu rosto dá para imaginar o receio de McGregor em não atender ao gentil pedido do russo.

Algoz de Falcão, Murata negocia luta por mundial

Murata (e) é da mesma promotora que Falcão (d)

Com menos de quatro temporadas no profissionalismo, o japonês Ryota Murata, 31, já está em negociações para desafiar o camaronês Hassan N’Dam N’Jikam, 33, detentor do cetro “regular” AMB da categoria médio (72,5k). O local do embate está sendo discutido para ser realizado na França – onde o campeão reside – e no país natal do atleta nipônico. Murata foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres (Grã-bretanha/2012) ao superar na final o brasileiro Esquiva Falcão e, hoje, os dois pertences à mesma promotora Top Rank.

Os agentes de Murata (12-0-0, 9 KOs) estão se esforçando para levar o confronto para a Ásia para aproveitar a excelente base de torcedores do atleta que atuou em seu país em sete ocasiões. As outras sedes de suas apresentações foram a China (três) e os Estados Unidos (duas). Murata nunca enfrentou rival de recorde negativo e, afora Falcão nos tempos de olimpismo, nocauteou três brasileiros já na esfera remunerada: Carlos Nascimento, Douglas Ataíde e Felipe Pedroso.

Antigo dono dos cintos interinos AMB e OMB, N’Jikam (35-2-0, 21 KOs) recuperou o título ao impor duro nocaute ao venezuelano Alfonso Blanco, em dezembro do ano passado. O atleta foi um dos profissionais que se aventuraram a retornar às competições olímpicas, mas sucumbiu rapidamente logo na primeira rodada nos Jogos do Rio (Brasil/2016).